Translate

domingo, 21 de abril de 2019

Dois Dedos de Café

Pode ficar pra você, muito obrigado. Esse resumo do que você é, nem tire do bolso. Sequer mergulhou para achar o amor dentro da concha, não é barganha tal preciosidade pelo que é fajuto. Nem me mostre o quão pouco é o seu recíproco, guarde para si. Eu quero o que é inteiro, quero copo cheio, nada pela metade. Nem me sirva se forem só dois dedos de café.




sexta-feira, 5 de abril de 2019

Gemido é Dialeto

A língua permita
Lhe percorrer
Molhada excita
Te dá prazer. 

Língua estrangeira
Gemido é dialeto
Do orgasmo à beira
Subindo ao teto. 

No silêncio do toque
Sexo é assunto
Que irá responder?

Não me provoque
Eu te pergunto
Você sabe gemer?




quinta-feira, 4 de abril de 2019

Me Levar, Vou Deixar

[Fragmentos]

Vou deixar, me levar. Me levar pra pegar um ar. Me resgatar, me levar pra tomar umas, vou deixar. Uns goles de liberdade, m'embriagar. Pra passear, me levar, me dar uns beijos se tentar, vou deixar. Pra ver um filme no cinema, me levar. Onde o escuro me lembra, em que irei mergulhar, vou deixar.


segunda-feira, 1 de abril de 2019

Vizinha Diferente

[Poesia Erótica]🔞
1/2

Eu e minha namorada
Nos mudamos para um apartamento
Por uma boa temporada
Mas que coubesse no orçamento.

A vizinhança não nos cumprimentava
Nos sentíamos esquecidas
E alguns até nos encarava
Por sermos lésbicas assumidas.

Até que em uma vizinha diferente
Andei reparando certo dia
Ela morava quase de frente
E nos cumprimentava e até sorria.

Suas pernas eram lindas
E eu não parava de olhar
Quando ela me deu boas vindas
Me convidando para entrar.

Disse para eu me sentar
E um chá me ofereceu
Começamos a conversar
Até que a coragem bateu.

Elogiei sua beleza 
E continuei a falar:
Essas pernas eram a fraqueza
De por fim eu adulterar.

Então fui avançando
E ela não recuou 
Minha mão ela foi pegando
E em sua calcinha colocou.

Continuei a apalpar
Já que era consensual
Mas algo ela queria me mostrar
E era o tamanho do seu pau!


CONTINUA...

- Anônimo -


terça-feira, 19 de março de 2019

Coração Pequeno

Depois de tanto tempo, e o que ficou nítido, é que a mágoa sempre foi maior do que o que se sentia. Ou até mesmo o que se sentia, fosse tão grande, que multiplicou o peso do erro e já não foste mais capaz perdoar. É uma pena banires os perdões de chegarem ao coração. Passado. Grande fábrica essa de fantasmas. Onde nem sempre o tempo é o melhor remédio e também pode ser um belo veneno. Estas palavras estão longe de ser uma forma de resumir ou minorar os erros, mas são para medir o tamanho do perdão negado e o quão pequeno era o coração, para que nele não coubesse nenhuma remissão. 



quinta-feira, 14 de março de 2019

Desilusões

[NOTAS]

Já falei algumas vezes sobre tal assunto, mas não tanto quanto neste Notas. Dentre tudo que inspirou a escrita, a coisa que mais moveu a poesia do Monóloguz, foi a desilusão. Costumo dizer que só sou capaz de escrever o que sinto, e sendo empaticamente ou vivendo na pele, desilusões moveram não só as poesias do Monóloguz como também a poesia da minha vida. Papéis eram como ataduras e gaze, onde canetas e lápis eram o que desinfetavam o que era machucado, como um curativo.


Entre o que vivenciei, ouvia e lia, dor e os amargos eram o que mais me impulsionavam a escrever. Era como se eu sangrasse no papel, como eu cito em "Monologando". Inclusive indico a escrita com prontuário, cada estrofe é como um fardo a menos retirado dos ombros. Do início dessas fases de experiência com o que era coração partido, temos "Pé Atrás", "Apenas Amar", "Liberte-me", "Consecutiva Inconsequência" e "Estruturas".




Diversas vezes direcionei para um lado mais positivo da escrita, pra até não ficar na redundância do triste e amargo. Já que boa parte das raízes eram nessa emoção. Tem muita da mensagem de otimismo nas tempestades o "Positividade é Isso", "Conspiração do Universo", "Radiação Positiva", "Traz o Vento" e "Contemporânea Revoada". Quando não remetia a positividade, era como se as inspirações viessem em forma de auto-ajuda, instruindo sempre a tirar o melhor resultado das coisas como "Captemos Capitães", "De Volta Aqui" e "O Dom da Fênix".


Mágoa e rancor já foram bastante os carros-chefes da escrita, como dei alguns exemplos anteriormente. E toda essa evolução de dor só pode resultar em desapego e indiferença. Em alguns casos até frieza e para isso deve-se atentar. E dessa forma, falando da parte mais importante das desilusões, por fim, o desapego, encerrando mais um Notas. Onde os que mais pintam o desapego com tons de liberdade e foda-se. E para o Dark dos desapegos eu tenho a maior lista; "Imunológico", "Contente-se", "Plante Flores", "Sigo Também", "Fluxo da Corrente", "Modo Avião", "Pôr Fim", "Garrafa de Desapego", "Tão Bem Lembrado Como Esquecido", "Logo Parto", "Amém" e "Pois Vá".

sexta-feira, 8 de março de 2019

TODXS PUTXS

- Ekena -


Quem cê tá pensando que é?
Pra falar que eu sou louca
Que a minha paciência anda pouca pra você
Para de vir me encher
Quem cê tá pensando que é?
Pra falar da minha roupa
Do jeito que eu corto o meu cabelo
Se olha no espelho,
Você não anda valendo o esfolado do meu joelho esquerdo!
Eu tenho pressa e eu quero ir pra rua
Quero ganhar a luta que eu travei
Eu quero andar pelo mundo afora
Vestida de brilho e flor
Mulher, a culpa que tu carrega não é tua
Divide o fardo comigo dessa vez
Que eu quero fazer poesia pelo corpo
E afrontar as leis que o homem criou pra dizer
Quem cê tá pensando que é?
Pra falar pra eu não usar batom vermelho
Quem cê tá pensando que é?
Pra maldizer até os amigos que eu tenho
Vai procurar tua turma e o que fazer
Que de gente como você o mundo anda cheio
Quem cê tá pensando que é?
Quem cê tá pensando que é?
Eu tenho pressa e eu quero ir pra rua
Quero ganhar a luta que eu travei
Eu quero andar pelo mundo afora
Vestida de brilho e flor
Mulher, a culpa que tu carrega não é tua
Divide o fardo comigo dessa vez
Que eu quero fazer poesia pelo corpo
E afrontar as leis que o homem criou pra dizer
Que se usa decote, é puta!
E se a saia tá curta, é puta!
E se dá no primeiro encontro, é puta!
Se raspa o cabelo, é sapa!
E se deixa crescer os pelos, é zoada!
Se tem pau entre as pernas, é trava!
Mas se bota salto alto, é santa!
E se usa 44, é gorda!
Mas se usa 38, é muito magra!
Se sai depois das onze, vai voltar arrombada!
Porque ela pediu, né? Tava na cara!
Olha a roupa que ela saiu de casa!
E todo discurso machista continua:
"Menina, você devia usar uma roupa menos curta!"
Eu tenho pressa e eu quero ir pra rua
Quero ganhar a luta que eu travei
Eu quero andar pelo mundo afora
Vestida de brilho e flor
Mulher, a culpa que tu carrega não é tua
Divide o fardo comigo dessa vez
Que eu quero fazer poesia pelo corpo
E afrontar as leis que o homem criou pra te maldizer
Que o homem criou pra te maldizer!

Foto Por: 3ternize / Thay

domingo, 3 de março de 2019

Ou Nem Isso

Talvez fosse pra sempre, ou nem isso e só durasse bastante tempo. Talvez levitássemos na foda, ou nem isso e só gozássemos umas sete vezes num dia. Talvez eu levasse à um requintado e caro restaurante para impressionar, ou nem isso e só comprasse os fast-foods para comermos em casa. Talvez eu esteja a falar de amor aqui, ou nem isso e só para narrar que foi significativo e poderia vir a ser. Talvez seja eu um idiota, ou nem isso e só estivesse numa época em que nada levaria a sério. Talvez tanto eu tenha me fodido que deixei de apostar, ou nem isso e só usei algo tentando ocupar um espaço. Talvez eu devesse pedir perdão por algo, ou nem isso e só ser grato ao momento proporcionado. Talvez viesse para filtrar meus pesadelos, ou nem isso e só me fizesse sonhar outro sonho.



Protección de la Noche

[Fragmentos]

Primeramente, perdóname por lo que soy y hizo. Gracias por hasta aquí ayudarme y mantenerme de pie. No permitas que de mí se acerque el mal y si acercarse, que no me toque y si tocarme, que no me lesione y si herirme, que no me mate y si matarme que mí alma suba al cielo, amém!


quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

Lá Vem a Puta



A puta chegou pra libertar, costurar as estigmas, resolver os enigmas, chegou pra manifestar.
Veio pra te vingar da traição, pra trancar o coração, veio para infernizar.
Chegou pra dar nessa cara e cheia de marra, te pôr no seu lugar.
Para mostrar quem manda e que não há demanda que tente derrubar.
Ela é barra pesada, de boba não tem nada e desaforo para casa não é de levar.
Respeite essa puta, que também é de luta e pode te cortar.
Se não deu valor à donzela, tratou feito cadela, com a puta aprenderá!



terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Essa Noite


Tudo bem se a gente transar e depois fingirmos que nada aconteceu? Nos usamos um tanto e nessa reciprocidade matamos a carência. Posso ver nos seus olhos uma antiga desilusão, numa sede impressa de quem quer ocupar seus espaços vazios. Não me culpe, nem insulte, somos adultos, não me venha criticar. Me empresto à você que da mesma forma se dá igual, sem promessas de amor, só trocamos o calor, sem vítimas ou vilões. Culpados são aqueles, que atuam o falso afeto, no capricho do objeto e logo irão desaparecer.


segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Pra Quê Vir


Pra quê vir
Se não vai continuar
E logo irá partir
Sem nunca chegar

Pra que vir
Se a cama vai esfriar
E nem vai dormir
Muito menos se deitar

Pra quê me ver
Foi um equívoco 
Não lembre o endereço

Melhor m'esquecer
Se não é recíproco
A quem lhe tem apreço.


segunda-feira, 21 de janeiro de 2019

Trago

Trago abraços, mas também algumas mágoas. Trago perdões nos bolsos, porém também lembranças na mala. Nem todos os erros merecem perdão, mas todos os nobres merecem perdoar. Trago aqui, o presente que me deste, o guardo até hoje. Porém também trago aqui, o passado que me deste, lugar onde já não se pode mais acertar, o guardo até hoje também. Até quando perdoar? Até quando permitir que se erre é a resposta. Apartai. Infelizmente. Perdões não silenciam ecos de berros, e recebê-los pode não significar uma aproximação. Lhe trago a remissão, mas traguei o que é toxina e não me permite esquecer.



Cárceres

[Fragmentos]

Só és feliz se encarcerar?
Dando a liberdade e vendo
ao que lhe tem afeto não se
apartando, mesmo que expulse,
não o faz se sentir amado?
É o medo ou a certeza de
que abrindo as celas seu amor irá?
Amor só é amor com as portas abertas.



quarta-feira, 16 de janeiro de 2019

FISSÃO BINÁRIA


Será preciso um outro endereço, irão nos perseguir aqui também. Outra nova moradia, outro veículo a propagar, outro lar. Expandir era previsto, já era parte da rota pluricelular, mas não havia pressão, não havia pressa. Eles se aproximam, trazendo consigo rajadas em ódio, suficientemente fortes com poder até de sucumbir, mas nunca de curar, como poder que temos nas mãos. A palavra, além de matar, da a vida, e tendo em mãos maior poder que os que perseguem, é questão de instinto multiplicar o mecanismo.

É necessário romper a membrana, nos forçam a se dividir. É defesa, precaução da extinção, é grito de apoio, natureza da Fissão Binária. E que não haja censura, que não hajam pudores, conservadorismos têm limite e podemos provar que também temos os nossos. Ampliar, continuar a propagar, com conceito igualitário e livre. Numa era onde meninos sentem e meninas absorvem, meninos se abraçam e meninas também se beijam. E nesta jornada segue a resistência, sadia e bem alimentada, alicerçada e bem empoderada, quiçá minorada e abafada, mas jamais calada. Nunca só!

Monóloguz PoetryFacePage // Tumblr


Bem Vindos à era da expansão e liberdade!